Quando lemos um texto sobre um determinado assunto, muitas vezes deixa no ar aquela pergunta “Ok, interessante, mas por onde começar?”.

Pra suprir a dificuldade de ter ideias quando estamos falando de produzir conteúdo, vamos explorar algumas dicas muito simples para entendermos onde que encontramos a resposta para a pergunta: "Sobre o que eu escrevo?". Depois dessa, não há mais motivos para não começar.

A dica mais simples de todas é digitar o seu produto no Google é verificar quais são as palavras mais buscadas esperando o recurso de autocompletar do buscador. Ele vai te dar indícios do que as pessoas estão procurando em sua região (Saiba mais sobre como funciona a ferramenta  nesse artigo do próprio Google ). Para exemplificar, usei palavras relacionadas ao assunto Marketing Digital e Rede Social Corporativa:

É uma forma de medir o interesse das pessoas em torno de um assunto no buscador. Tente digitar o nome do produto ou assuntos em torno dele, para encontrar o que é mais popular no comportamento das pessoas quando precisam daquilo.

Anote todos os tópicos que são mais populares em torno do produto, depois vá até uma outra ferramenta do Google chamada Google Trends, que aponta para o usuário qual a relevância de uma palavra chave no buscador do Google, ou seja, quanto aquilo está sendo buscado pelas pessoas no mundo todo. Ele mostra visualmente qual o interesse do público em torno de um assunto e qual a tendência de importância do tema. É muito útil para medir sobre qual assunto pode ser tratado nas estratégias do negócio ou quais estratégias de conteúdo orientado para busca a empresa deve seguir. É possível tirar ideias bem interessantes:

A ferramenta Google Trends serve para validar se a palavra chave que foi colocada na estratégia de fato tem relevância para as pessoas que estão utilizando o buscador. Ele dirá se os assuntos que está escolhendo fato tem atenção do público em geral.  Por exemplo, a palavra chave pode ter relevância em torno do produto, mas não ser suficientemente procurada a ponto de conseguir criar uma arma de marketing apontada para um volume adequado de público. Veja que a linha acima aponta uma tendência de alta, sinalizando que o conteúdo está em crescente interesse e tende a aumentar cada vez mais.

Note já quando comparo o Marketing Digital com o Marketing de Conteúdo, a relevância do primeiro é muito maior do que o segundo, o que significa que as pessoas o procuram muito mais. Ou seja, se você faz suas estratégias em torno de conteúdo orientado para busca, como falamos em outro artigo, é importante se atentar com essas questões. Nesse exemplo ao buscarmos Marketing de Conteúdo, significa que estará escrevendo para um público muito menor.

É interessante também experimentar a busca dos termos (quando possível) em inglês, para ver a relevância mundial do assunto. Como o Brasil recebe tendências de mercado com um certo “atraso” em relação aos demais países, é possível que o mercado ainda seja emergente e não tenha massificado como lá fora

O Marketing digital é feito em torno de experimentos. Portanto, essas são ferramentas simples que você não pode utilizar simplesmente no início do planejamento da sua estratégia, mas sempre junto com suas métricas buscando a melhoria dos resultados.

Anotando todos os assuntos pelos quais as pessoas podem procurar no Google, é possível criar uma linha editorial para que você tenha sempre o próximo artigo a ser escrito. Um blog empresarial deve conter no mínimo, duas publicações por semana para se tornar eficiente, caso contrário ele pode ficar esquecido.

O Google disponibiliza uma série de ferramentas úteis e gratuitas para melhorar a estratégia de Marketing de Conteúdo, que vão ajudar desde a planejar linhas editoriais até realizar análises do que está dando certo ou não, portanto, quem souber utilizar corretamente pode extrair boas ideias para seu marketing de conteúdo.